Óleo do motor mais viscoso: carros acima dos 50 mil km precisam dele?

Leitor tem um automóvel com mais de 50 mil quilômetros rodados. Ele está na dúvida se precisa aumentar a viscosidade do óleo. Será que precisa mesmo?

Por Boris Feldman28/05/19 às 17h00

Leitor do AutoPapo pergunta: “É verdadeira aquela dica de que quando o carro já ultrapassou os 50 ou 60 mil quilômetros, o óleo do motor deve ser mais viscoso do que o recomendado pelo manual do proprietário?” Essa dica pode estar certa, como pode estar errada. Como assim?

Pode ser que depois dos 50 mil quilômetros seja mais interessante você aumentar a viscosidade. Tanto que alguns óleos para motor são classificados como para alta quilometragem. E, o que se imagina, é que o motor, a essa altura dos acontecimentos, já esteja queimando um pouco de óleo em excesso. Nesse caso, vale a pena aumentar a viscosidade, por exemplo, de 10W40 para 20W50 ou 20W60.

Entretanto, muitos motores ultrapassam os 50 ou 60 mil quilômetros, podem chegar a 100 mil ou mais quilômetros sem a necessidade de óleo mais viscoso, desde que eles não estejam queimando óleo em excesso. Ou seja, aumentar a viscosidade não depende da quilometragem, mas de quanto está baixando o nível na vareta de óleo.

óleo do motor mais viscoso
Shutterstock
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (4 votos, média: 4,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    IGOR MENDES TCHELZOFF 10 de agosto de 2019

    ERRADÍSSIMO! O óleo a ser usado é sempre o que a montadora diz, independente da km; pode ser 50 mil km, pode ser 500 mil, se pedir para usar 0W40 por exemplo, você irá usar 5W40. Se o motor começar a queimar mais óleo do que o tolerado (informação disponível no manual do proprietário), será sinal de que os anéis de seguimento estão cansados e o motor irá precisar passar por retífica. Aumentar a viscosidade pode até fazer diminuir a queima do óleo, mas irá prejudicar todo o cabeçote, já que diferente das folgas nas partes de baixo do motor, as tubulações que levam o óleo para o cabeçote não aumentam, e óleos mais viscosos não sobem na velocidade que devem. (e falando em folgas, o quão elas aumentam, vai depender do zelo do proprietário com as trocas de óleo. se as trocas forem feitas corretamente, essas folgas não aumentarão)

    • Avatar
      IGOR MENDES TCHELZOFF 10 de agosto de 2019

      0W40*

  • Avatar
    Marco Antonio Netto 5 de junho de 2019

    Quanta bobagem. Se seu carro está fumando com 50 mil, você tem um problema muito maior do que pensa. E se o carro já tem muita rodagem (150 mil ou mais) e está queimando óleo, não tem dessa de mudar a viscosidade, é simplesmente hora de retificar e continuar usando o óleo recomendado pelo fabricante. Tenho um Corsa 2001 1.0 16v que está com 190 mil e usa o 15w40 recomendado no manual, API-SN e não fuma absolutamente nada.

    Essa parada de óleo de 20w50 pra alta kilometragem é balela, e essa matéria é um baita desserviço pra quem acompanha o site.

  • Avatar
    Celso 2 de junho de 2019

    Pois ao contrario da lenda “urbana” do carro velho, óleo viscoso, o meu Corsa com mais de 150 mil, usa óleo 0W20 , sem soltar uma fumacinha sequer e o motor funciona feito um relógio, isto rodando desta forma a mais de 10 mil kms, sem problema algum.

Avatar
Deixe um comentário