Carros rejeitados: 10 modelos que se deram mal no mercado brasileiro

Por diferentes motivos, os consumidores do país correram desses veículos, que acabaram fracassando comercialmente

Por Alexandre Carneiro19/05/19 às 10h00

O mercado de carros é impiedoso: enquanto alguns modelos tornam-se sucessos estrondosos, outros são sumariamente rejeitados. Embora seja difícil estabelecer padrões para esse fenômeno, geralmente veículos que vendem mal quando novos tendem a ser preteridos também depois de usados. O listão do AutoPapo deste domingo é exatamente sobre isso: enumeramos 10 modelos que fracassaram comercialmente no país.

Vale lembrar que vender mal não indica, necessariamente, falta de qualidade ao produto. Há diferentes razões para o insucesso, que podem passar por falhas de marketing e até turbulências econômicas no mercado. Seja como  for, relacionamos apenas veículos lançados para obter grandes números de vendas. Modelos de nicho, cujo lançamento não visa, principalmente, o volume de emplacamentos, ficaram de fora. Confira os 10 carros rejeitados pelo consumidor brasileiro:

1. Fiat Marea

fiat marea é um dos carros rejeitados pelo mercado

O Marea causou impacto quando foi lançado, no ano de 1998. Moderno para a época, tinha como destaque um motor 2.0 de cinco cilindros e 20 válvulas. Dois anos depois, o modelo adotou um propulsor 2.4 com as mesmas características técnicas. Mas a mecânica passou de atrativo a pesadelo: complexa, exigia muito conhecimento técnico e ferramentas específicas. Ademais, o conjunto motriz vinha importado da Itália, o que aumentava os preços de determinadas peças.

Para piorar, a própria Fiat recomendava intervalos muito longos, de 20 mil quilômetros, entre as trocas de óleo. Graças ao contato com combustível ruim e a outros fatores, logo surgiram casos de contaminação por borra. O fabricante chegou a reduzir esse prazo pela metade, mas era tarde: o sedã e a perua Weekend já eram carros rejeitados.

Há, porém, outro fator relacionado ao insucesso comercial do Marea. Nos anos seguintes ao lançamento, o mercado recebeu uma enxurrada de novos sedãs. Entre os quais, as (então) novas gerações de Honda Civic e Toyota Corolla. A competitividade crescente do segmento, associada à má fama mecânica, selaram o destino do modelo da Fiat.

O próximo da lista também tem mecânica temida. Vire a página e confira!

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (54 votos, média: 4,06 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rodrigo 20 de maio de 2019

    Concordo com o Erley… Quando terá fim este formato de postagem???
    Ele desestimula a leitura e acaba por afastar os seguidores direcionando-os à outros sites/fóruns automotivos (que por sinal abundam na mídia atualmente)…

  • Avatar
    ed 20 de maio de 2019

    Pelo amor de Deus!! Coloca tudo na mesma página!!

  • Avatar
    Erley Rodrigues 19 de maio de 2019

    Poderiam publicar o post como um texto, sem necessidade de botões para ler o próximo. Quando chego ao final, tenho que ficar voltando aos anteriores até chegar ao menu do site. Em razão disso, só leio o primeiro. Quando vejo o botão “próximo” desisto de continuar.

  • Avatar
    Antonio Donizeti Martins 19 de maio de 2019

    Mas o caso exponencial do qual eu tenho lembrança foi o CORNO-WAGEN

Avatar
Deixe um comentário