Grandes designers de carros projetaram nacionais: veja 10 exemplos

Alguns dos maiores projetistas do mundo criaram automóveis que foram feitos no Brasil: alguns deles são comuns nas ruas

Por Alexandre Carneiro22/12/18 às 10h00

Nem só de superesportivos vivem os grandes designers de carros. Projetistas famosos também criaram vários automóveis comuns, com proposta familiar e preço acessível. É possível que você, inclusive, possua ou já tenha possuído um automóvel concebido por algum desses artistas da indústria. Duvida? Pois o AutoPapo listou 10 carros nacionais desenvolvidos por nomes ilustres do design. Confira:

1. Fiat Uno – Giorgetto Giugiaro

Designers de carros: Fiat Uno foi projetado por Giorgetto Giugiaro

Giorgetto Giugiaro é um dos maiores designers de carros do mundo. Tanto quando se fala na qualidade do trabalho quanto em relação ao volume de projetos. Afinal seu currículo inclui mais de 200 veículos de todos os tipos, de esportivos a utilitários, passando por populares. E um desses automóveis acessíveis que o italiano moldou ainda pode ser visto em grande quantidade nas ruas brasileiras: o Uno. Trata-se do modelo, raiz, de primeira geração, e não o atual.

O Uno foi projetado de dentro para fora. A carroceria molda-se ao interior, pensado para abrigar motorista e passageiros com comodidade. É verdade que, esteticamente, o resultado causou controvérsia, principalmente quando o hatch ainda era novidade. Tanto que ele recebeu o apelido de botinha ortopédica, devido às suas formas quadradas e elevadas. Mas ninguém negava que, para o porte da carroceria, o espaço a bordo era ótimo. O sucesso comercial também não deixa margem para contestações, tanto que a produção durou 29 anos, entre 1984 e 2013.

2. Fiat Tipo – Ercole Spada

Designers de carros: Fiat Tipo foi projetado por Giorgetto Giugiaro

Já ouviu falar em Ercole Spada? Se não, saiba que ele é um dos grandes designers de carros do mundo. Sua especialidade são os modelos esportivos: já concebeu esse tipo de veículo para Alfa Romeo, Lancia, Aston Martin e Ford. Mas também assinou o projeto da segunda geração do luxuoso BMW Série 7.

Spada desenvolveu ainda automóveis familiares. Entre eles, estão o Tipo, que chegou importado no fim de 1993 e foi nacionalizado dois anos depois, e o Tempra, feito em Betim (MG) de 1992 a 1998. A rigor, ambos são derivações do mesmo projeto: o segundo é a versão sedã do primeiro. Os dois tinham como maior trunfo o bom espaço interno e contabilizaram bons números de vendas. Os traços simples das carrocerias desses modelos foram criados com base na filosofia de que a forma segue a função.

3. Fiat Punto – Giorgetto Giugiaro

Designers de carros: Fiat Punto foi projetado por Giorgetto Giugiaro

Quando você avistar um Punto da primeira série, anterior à reestilização da linha 2012, repare na parte inferior da porta traseira. Ali, há um pequeno emblema com os dizeres “design Giugiaro”. A própria Fiat não deixa dúvidas: trata-se de mais uma obra do projetista italiano.

No Punto, Giugiaro utilizou elementos de estilo presentes em outras de suas criações. A grade e os faróis lembram o Maserati 3200 GT. A traseira com lanternas elevadas era uma referência à primeira geração do modelo, que nunca veio ao Brasil. O hatch foi fabricado na unidade industrial de Betim de 2007 até o último mês de agosto.

4. Fiat Idea – Giorgetto Giugiaro

Designers de carros: Fiat Idea foi projetado por Giorgetto Giugiaro

Mais um Fiat projetado por Giugiaro, o Idea foi lançado mundialmente em 2003, quando os monovolumes estavam em alta. Como é comum nesse tipo de veículo, tinha amplo espaço interno, apesar do comprimento da carroceria ser inferior a 4 metros. Chegou ao Brasil em 2005 e permaneceu em linha até 2016.

5. Ford Maverick – Tom Tjaarda

Designers de carros: Maverick foi projetado por Tom Tjaarda

Outro especialista em elaborar esportivos, Tom Tjaarda concebeu bólidos das marcas Ferrari, De Tomaso e Aston Martin. Um dos veículos mais icônicos da Fiat, o 124 Spider, também é obra dele. Nascido em Detroit, nos EUA, o projetista sempre apreciou a escola italiana. Tanto que se mudou para Turim, residência de outros grandes designers de carros, onde morreu em 2017.

Tjaarda fez vários trabalhos para a Ford, dos quais o único produzido no Brasil foi o Maverick. Vendido nas configurações cupê e sedã, o modelo se destacou justamente pelo desenho agressivo. Nos Estados Unidos, ele foi muito popular, mas suas vendas por aqui nunca foram muito expressivas. Tanto que a produção, iniciada em 1973, chegou ao fim já em 1978.

6. Dodge Dart – Virgil Exner

Designers de carros: Dodge Dart foi projetado por Virgil Exner

Virgil Exner é um dos grandes designers de carros da indústria estadunidense. Ganhou destaque nos anos 40, após projetar a linha pós guerra da extinta Studebaker. Um dos modelos dessa marca em especial, o Starlight Coupé, ditou tendências e influenciou as linhas da concorrência. Na década seguinte, já na Chrysler, criou o estilo foward look, que marcou época.

Exner projetou vários automóveis ao longo da carreira. Pelo menos deles é bem conhecido dos brasileiros: o Dodge Dart. O Dojão, como foi apelidado por aqui, permaneceu no mercado nacional de 1969 a 1981. Disponível com carrocerias cupê e sedã, o modelo ficou famoso pelo porte avantajado, o estilo marcante e o desempenho proporcionado pelo motor V8.

7. Aero Willys – Brooks Stevens

 Designers de carros: Aero Willys foi projetado por Brooks Stevens

Contemporâneo e conterrâneo de Virgil Exner, Brooks Stevens seguiu carreira nos Estados Unidos. Fez projetos para a Studebaker e para a Chrysler, mas não desenvolveu somente automóveis. Em seu portfólio, há também motos, entre as quais a primeira Harley Davidson Hydra-Glide, que até hoje serve de inspiração para a marca. Seu trabalho mais famoso é, provavelmente, o Jeep Wagoneer.

Um dos projetos do começo da trajetória do designer deu origem a um dos nacionais mais icônicos dos anos 60: o Aero Willys. O sedã teve duas gerações feitas no país. A primeira, lançada em 1960, tem linhas puramente criadas pelo norte-americano. A segunda safra, que chegou com a linha 1963, foi feita apenas por aqui. A criação ficou a cargo de uma equipe de brasileiros, liderada por Roberto Araújo, que se baseou em esboços de Stevens.

8. Willys Interlagos – Giovanni Michelotti

Designers de carros: Willys Interlagos foi projetado por Giovanni Michelotti

Mais um italiano na lista: Giovanni Michelotti, um dos designers de carros mais reconhecidos do século XX, nasceu e morreu em Turim. Fez vários projetos para empresas da terra natal, como Ferrari e Maserati. Todavia, também projetou para a inglesa Triumph e para a alemã BMW. Isso sem falar nos caminhões que concebeu para a Volvo e a DAF.

Talvez o automóvel mais famoso criado por ele tenha sido o francês Alpine A110. No Brasil, o esportivo foi fabricado pela Willys, com o nome de Interlagos. Seja com carroceria cupê ou com a conversível, o carrinho é um charme. Hoje, ele é um dos carros antigos nacionais mais raros e valorizados do mercado.

9. Volkswagen Passat – Giorgetto Giugiaro

Designers de carros: Volkswagen Passat foi projetado por Giorgetto Giugiaro

Carro alemão com design italiano? Isso mesmo! Nos anos 70, a Volkswagen contratou Giorgetto Giugiaro para desenhar vários de seus novos produtos. Dessa parceria, nasceram veículos famosos, como as primeiras gerações do Golf e do Scirocco, que não chegaram ao Brasil.

Porém, outro projeto dessa época foi nacionalizado e ganhou muitos fãs no país: o Passat. Por aqui, assim como no resto do mundo, ele foi o primeiro Volkswagen com motor refrigerado a água. Seu estilo, com carroceria fastback, era ousado para os padrões daquele período. A fabricação local começou em 1974 e foi até 1988.

10. Karmann Ghia TC – Giorgetto Giugiaro

Designers de carros: Karmann Ghia TC foi projetado por Giorgetto Giugiaro
Karmann Ghia TC (Volkswagen | Divulgação)

O nome do esportivo vem da associação do estúdio Ghia, criador do projeto, com a Karmann, fabricante da carroceria. A primeira geração foi desenvolvida por uma equipe múltipla de designers de carros, de modo que é impossível apontar apenas um profissional como criador. Porém, com a segunda safra, a história foi diferente: Giugiaro foi o responsável por sua concepção.

O Karmann Ghia TC tinha projeto estrangeiro, mas foi fabricado apenas no Brasil. Todavia, teve vida curta e ficou no mercado por penas três anos, de 1972 a 1975. Naquele tempo, ainda novo, o cupê foi considerado um dos carros mais bonitos já feitos no país. Hoje, já antigo, ele mantém essa premissa.

Fotos: Divulgação

4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Wendell 22 de dezembro de 2018

    Querido Boris, sou um antigo apreciador de seu trabalho… apenas uma correção: no caso do Uno, se ele ficou em produção de 1984 a 2013, são 29 e não 19 anos… grande abraço

    • Wendell 22 de dezembro de 2018

      Apenas corrigindo, querido Alexandre**

    • Wendell 22 de dezembro de 2018

      Alexandre, não Boris… me perdoem

      • Alexandre Carneiro
        Alexandre Carneiro 23 de dezembro de 2018

        Caro Wendell
        Muito obrigado pela observação. O erro de digitação já corrigido.
        Abraço!

Deixe um comentário