‘Pescoço de ganso’ reduz espaço no porta-malas e pode danificar bagagens

Comprar um sedã por causa do tamanho do porta-malas pode ser um boa, desde que ele não venha com aquele 'pescoço de ganso' na tampa

Por André Almeida 10/11/19 às 16h32

Para muitos consumidores, a compra de um sedã está atrelada à necessidade de um porta-malas espaçoso, capaz de acomodar as malas de toda a família. Porém, é preciso ficar atento aos modelos equipados com dobradiças do tipo ‘pescoço de ganso’ na tampa do bagageiro. Nesses casos, o proprietário pode se frustrar ao descobrir que não terá todo o espaço anunciado na ficha técnica do carro.

Porta-malas com pescoço de ganso

Além do espaço ”roubado” por essas hastes articuladas no porta-malas,  há um outro problema que muitos motoristas provavelmente só perceberão durante uma viagem de férias: o esmagamento de alguma bagagem. Afinal, nessas circunstâncias é comum “entupir” o porta-malas, preenchendo todo o espaço. Ocorre que, se algo estiver embaixo do pescoço de ganso, fatalmente será prensando por ele na hora de fechar tampa.

A dica é: se não der para deixar bagagem alguma para trás, então não coloque volumes que possam vir a quebrar debaixo dessas hastes.

Felizmente, algumas montadoras, mais preocupadas com a integridade das bagagens e, consequentemente, mais honestas em relação ao volume real do porta-malas, já oferecem automóveis com um acabamento que embute esse ‘pescoço de ganso’. Assim, não há a possibilidade de se prensar as bagagens e ainda dá para aproveitar melhor o espaço do porta-malas. (vide foto abaixo) 

porta-malas com 'pescoço de ganso'
Porta-malas com acabamento para o pescoço de ganso

‘Amortecedor’ na tampa do porta-malas: dobradiças pantográficas não roubam espaço

Ainda melhor que o embutimento dos “pescoços de ganso” é o uso do sistema pantográfico.  Esse mecanismo é composto por barras paralelas articuladas e mola a gás – que, aliás, não pode ser confundida com um amortecedor, já que não tem a função de amortecer (vide foto abaixo) e tem a vantagem de não reduzir o espaço para bagagem.

Além de permitir o total aproveitamento do bagageiro, a articulação pantográfica tampouco provoca esmagamento das bagagens. Contudo, é raro encontrar sedãs com essa solução, por questão de custo.

O sistema pantográfico, no porta-malas, funciona como as portas dos antigos elevadores, mostradas no vídeo abaixo:

Atualmente, apenas dois sedãs utilizam o sistema pantográfico na tampa traseira: o Ford Ka Sedan e o Mitsubishi Lancer. Todos os demais modelos recorrem às dobradiças do tipo “pescoço de ganso”.

Alguns veículos, como o Ford Focus Sedan e Fiesta Sedan, já tiveram as dobradiças pantográficas em seus porta-malas. Mas, com as atualizações desses modelos, os amortecedores à gás acabaram perdendo espaço para o pescoço de ganso. (Vide tabela no final da matéria).

porta malas
Porta-malas com sistema pantográfico

Saiba quais sedãs, atuais e descontinuados, têm dobradiças pantográficas

Marca Modelo
Ford Fusion (primeira geração), Ka Sedan, Focus Sedan (primeira e segunda gerações), Fiesta Sedan (segunda geração)
Fiat Linea
Chevrolet Vectra (terceira geração)
Citroën C4 Pallas
Mitsubishi Lancer
Nissan Sentra (sexta geração)
Peugeot 408, 307
Renault Mégane
VW Polo Sedan, Jetta (quinta geração), Bora
Chery Cielo Sedan

Vai usar toda a capacidade do porta-malas? Então veja essa dica do Boris

Fotos Alexandre Carneiro | AutoPapo

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário