Volante é 4 vezes mais sujo que vaso sanitário, aponta estudo

Aproximadamente 700 tipos bactérias podem viver em um carro; metade dos entrevistados no levantamento afirma negligenciar a limpeza do seu veículo

Por AutoPapo29/01/19 às 11h59

O brasileiro passa, em média, 2h30 por dia dentro do carro. A informação, constatada por uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) para a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), já deveria ser suficiente para os motoristas pensarem em fazer a higiene adequada dos veículos. Imagine só se considerarmos um novo levantamento americano que afirma que o volante do carro tem mais bactérias que um vaso sanitário de banheiro público?!

É no interior do automóvel que os ocupantes se sentam e respiram. Também é no habitáculo que materiais como tecido, couro e plástico, por exemplo, podem ser facilmente contaminados por restos de alimentos, poeira e outros detritos, originando doenças respiratórias e de pele. Fato que comprova que a limpeza dos automóveis deve ser vista como uma questão de conforto e, especialmente, de saúde.

É relativamente conhecido que existem bactérias e contaminação em quase todas as superfícies comuns. Controles de televisão, celulares, maçanetas, botões de microondas e cadarços são alguns exemplos. Agora, um estudo do CarRentals.com mostra que no volante do carro está um dos focos mais intensos de bactérias.

A pesquisa, que entrevistou mais de mil pessoas sobre os seus hábitos de limpeza nos carros, analisou amostras retiradas dos volantes e constatou que no equipamento podem ser encontradas mais de 700 variedades de bactérias.

O volante tem, em média, 629 unidades formadoras de colônia (CFUs ou quantidade média de bactérias por centímetro quadrado), número seis vezes maior que a tela do celular e quatro vezes mais sujo que um banheiro público.

Do ponto de vista científico, essa é uma questão importante, já que os carros têm vários pontos de contato e servem como sala de jantar para muitos (20% das pessoas questionadas afirmaram comer dentro do veículo).

Cerca de metade dos motoristas entrevistados negligenciam a limpeza do carro regularmente: 32% das pessoas afirmaram limpar seus carros apenas uma vez por ano, enquanto 12% não fazem qualquer tipo de higiene nos veículos.

Estudo realizado nos Estados Unidos revela que número de bactérias presente no volante é quatro vezes maior do que o encontrado em banheiros públicos.
Volante do carro pode conter mais de 700 tipos de bactérias

A limpeza adequada de superfícies, incluindo o volante, é importante para remover contaminantes, mas bactérias e fungos podem reaparecer em áreas escondidas. É por isso que a desinfecção completa, após a remoção dos detritos mais visíveis, é crucial. Para evitar a proliferação de bactérias no seu carro, aprenda como fazer a higiene correta no interior do seu veículo.

Além do volante… os locais mais sujos do carro:

Os porta-copos têm, em média, 506 CFUs. Os cintos de segurança, por sua vez, têm 403 CFUs. Em quarto lugar, os puxadores das portas internas, que apresentam 256 CFUs.

Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rodrigo 29 de janeiro de 2019

    Isso acontece por uma simples razão: as pessoas não lavam as mãos quando vão dirigir, os acompanhantes também não.

  • Avatar
    LUIS SOARES CAMARGO 29 de janeiro de 2019

    Vai depender muito de quantas pessoas faz uso do mesmo carro. se carro e meu e ninguém mais faz uso do mesmo.
    Agora dizer que o volante de um carro e mais contaminado que um banheiro publico imagine quantas pessoas usa um banheiro.
    Carro não e banheiro publico . Lembre-se que estou falando do volante do carro. Que somente uma pessoa dirige.
    Pesquisa no corresponde a verdade com 700 baqueteias encontrada na volante de um eu outras partes do mesmo.

Avatar
Deixe um comentário