Sistema Start/Stop: sua economia de combustível é mito ou verdade?

Testes relacionados a questão da economia de combustível do sistema Start/Stop já foram feitos, confira os resultados abaixo:

Por Boris Feldman03/07/19 às 19h30

Um leitor do AutoPapo diz ter comprado um carro, o primeiro que ele tem dotado do sistema Start/Stop. Toda vez que ele para num congestionamento ou no sinal vermelho, o motor é desligado e depois novamente ligado automaticamente quando ele vai arrancar.

Ele pergunta se há uma efetiva redução do consumo de combustível, que ele ainda não percebeu. E a resposta é de que existe, sim, uma redução do consumo e de emissões apenas no trânsito urbano, quando o motor é ligado e desligado com frequência.

Entretanto, se o seu carro for utilizado principalmente em rodovias, onde raramente se liga e desliga o motor, não haverá diferença de consumo. Testes apontam que no trânsito urbano a redução do consumo de combustíveis e também, portanto, de emissões gira entre 10 e 15%.

Sistema Start/Stop
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (1 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Clique na estrela para avaliar.
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
17 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Uziel 16 de agosto de 2019

    A conta é simples. Se verificarmos no computador de bordo o consumo de combustível com o carro parado (e motor ligado), vamos perceber que o consumo é cerca de 1,2 litros/hora. Considerando o preço da gasolina (aqui em Maceió) de R$ 4,50 reais/l, teremos um gasto de R$ 5,40/hora, o que dá 90 centavos por minuto. Daí que se num circuito urbano de 1 hora, conseguirmos ficar com o motor desligado durante 6 minutos (10% do tempo), teremos 54 centavos de economia numa hora. Isto não justifica tantas partidas e arranques (além do desconforto, atraso e sensação de insegurança) e NUNCA vai cobrir a despesa com uma bateria nova ao final de 1 ano e meio.

  • Avatar
    Andre 9 de julho de 2019

    Esse sistema não presta. Serve prós ecochatos que querem limpar o planeta. Outro dia estava caminhando em uma ladeira e um Argo ao arrancar demorou para ligar o motor e caiu muito pra trás, quase batendo no carro de trás. Start stop é um embrólio.

  • Avatar
    Conconco 5 de julho de 2019

    Essa redução ajuda no meio ambiente e faz a camada de ozônio viabilizar

  • Avatar
    Valter Lucas 5 de julho de 2019

    Também só tive prejuízo, no meu Creta a bateria durou somente um ano e quatro meses com 13 mil km rodados, quase implorei por uma bateria nova no atendimento da Hyundai e nada. Final das contas tive uma economia ínfima de combustível e o prejuízo de uma nova bateria AGM de R$ 1.200. Ou seja esse sistema não vale nada.

  • Avatar
    Newton 5 de julho de 2019

    Prezados,
    Este sistema Stop&Start trata-se de uma imbecilidade surreal, algo criado por imbecis da área de engenharia das montadoras.
    Serve apenas para num futuro próximo “saquearem” os consumidores com venda de peças. Motores de arranque e Baterias de custo elevadíssimo.
    Sem falar no incômodo que isto ocasiona a quem dirige.
    Na primeira manutenção o custo será de milhares de vezes maior que a ínfima economia alardeada.
    Já briguei com a GM para que pelo menos mudassem o delay de ativação do sistema mas, nada consegui. Em um ano de uso da Tracker, duvido que tenha economizado 1 litro de combustível em milhares de ciclos já efetuados em frações de segundos totalmente desnecessários.
    E o pior, certamente a bomba irá estourar após o término da garantia do carro.
    Conselho aos amigos, NÃO caiam nesta roubada!!! O prejuízo será enorme e muito breve.
    O pior é que isto passou batido na hora da compra, e agora assumo o prejuízo.

  • Avatar
    Wallace 4 de julho de 2019

    É mito, essa tecnologia mais um vez beneficia a montadora. Não há resultado na economia de combustível, mas sim na compra de uma bateria que custa mais de R$ 1.000,00 e só tem 1 ano de garantia. Seu carro pára de ligar, mas as outras funções que exigem a bateria estão funcionando normalmente, não há opção para desligar está função e continuar com o o veículo funcionando no modelo convencional de partida, li várias matérias sobre o assunto e a bateria tem um limite de partidas, deve haver um contador que atingi o limite e simplesmente pára, como seu carro ainda está na garantia, tem que chamar um guincho para verificar qual o problema do veículo. Quando informam que é bateria, você só pode colocar a bateria da concessionária que possui um alto preço, além de ter novamente 1 ano de garantia, senão tem que retirar o carro novamente com guincho. No mercado existe bateria com as mesmas especificações mais barata e com 2 anos de garantia.
    Tenho um Creta, a bateria durou 1,5 ano e o carro tinha 16.000 Km.

  • Avatar
    José Roberto 4 de julho de 2019

    só que a bateria custa 2000 reais
    Troquei esses dias da Mercedes

  • Avatar
    Criban 4 de julho de 2019

    Por se tratar de um custo alto na reposição e antecipação da troca da bateria….eu desliguei do meu carro….

  • Avatar
    Marcio Matos 4 de julho de 2019

    Vejo que todos proprietários de veículos com start-stop tem a mesma preocupação é o mesmo problema, se existe uma economia de combustível ela é anulada pela pouca durabilidade da bateria e seu alto custo pois as montadoras dificilmente garantem a bateria por pelo menos 2 anos. Meu exemplo possuo um IX35 de mais de R$100.000 com 18 meses e menos de 10.000km o start-stop parou de funcionar e foi diagnosticado que a bateria estava com menos de 90% assim o sistema não funciona, como pode isso um sistema que só funciona se a bateria for nova?Vou ter que comprar uma bateria de R$1.600 porque ela na passa de 90%?E a garantia de 5 anos?Pois a bateria só é garantida por 1ano.

    • Avatar
      Vinicius 5 de julho de 2019

      Sabe de nada inocente…

  • Avatar
    Paulo 4 de julho de 2019

    Não vejo nenhuma economia de combustível, creio que seja apenas para reduzir emissões, tanto que no cruze nem 5em opção de desligar. O meu com 14 meses deu problema na bateria, resultado,1.500 em uma nova. Se realmente há economia de combustível ela é anulada na troca cara e antecipada da bateria, prejuízo

  • Avatar
    IVAN VASCONCELLOS 4 de julho de 2019

    Realmente o sistema traz economia em circuito urbano, entretanto não se deve confundir circuito urbano com engarrafamentos com paradas e retomadas constantes. Nesse caso, acredito, além de consumir mais vai acabar por deteriorar a bateria por excesso de uso.

  • Avatar
    Marcos Antônio 4 de julho de 2019

    Em compensação a bateria do creta só durou 1 ano e 2 meses e o carro so tem 27 mil rodados e completa 2 anos em agosto, e o preço da bateria que aqui na autorizada custa 1200,00,

  • Avatar
    [email protected] 4 de julho de 2019

    O sistema star stop eu não sei,mas no caso do jeep Renegade o problema e o atraso na troca de marchas e também noutro que em descidas ele demora muito para deslanchar seria bom um ajuste nesse item. Tenho certeza que seria mais econômico com essa mudança,pois o jeep parece amarrado nas descidas.

  • Avatar
    Marcio Böes 4 de julho de 2019

    Vejo uma grande furada isso!
    Tive que trocar a bateria que custou R$ 1.300,00 do sistema start/ stop
    Não percebo nenhuma diferença em economia de combustível pelo tempo que o carro fica desligado.

  • Avatar
    Estanislau Vladimir da Silva Mendes 3 de julho de 2019

    Realmente tenho dúvidas da eficácia desse sistema… penso q está mais voltado para diminuição da poluição….

    • Avatar
      Conconco 5 de julho de 2019

      Tio engano seu, a economia é 60%

Avatar
Deixe um comentário