Combustíveis alternativos: o que cientistas já desenvolveram?

Cocô de vaca, hidrogênio, biogás, eletricidade... Será que esses combustíveis alternativos são viáveis? Quais são suas (des)vantagens?

Por AutoPapo 28/05/18 às 12h08

Passada a fase de negociações, com anúncio do governo afirmando que o preço do diesel vai cair nas bombas de todo o país (mais especificamente R$ 0,46), as rodovias começam a ficar menos obstruídas. A questão mais complexa em relação ao combustível, no entanto, persiste. Afinal, é preciso que as fabricantes desenvolvam automóveis capazes de se mover às custas de compostos renováveis. Separamos alguns dos combustíveis alternativos testados mundo afora:

Gás Natural

O gás natural veicular, o GNV, já funciona em alguns automóveis. O problema desse combustível é que, por ser extraído do fundo da terra ou dos mares, é considerado um combustível fóssil não renovável. Quando produzido por meio da decomposição de elementos orgânicos, o gás natural é chamado biogás.

Biogás

O Biogás é um combustível desenvolvido a partir do gás biometano, captado, por exemplo, a partir de dejetos de animais ou resíduos agrícolas em decomposição. O biogás pode ser utilizado para movimentar os motores em que o combustível não é injetado em estado líquido, mas gasoso (combustão interna) e funciona tão bem como o GNV. Atualmente esse é um dos combustíveis alternativos disponíveis no Brasil.

O biogás produzido nos biodigestores pode ser utilizado, também, como gerador de energia elétrica, alimentando os elétricos que aos poucos chegam ao país.

Elétricos

A energia elétrica é utilizada para colocar em movimento inúmeros modelos da indústria automobilística. Os carros elétricos utilizam um sistema de recarga semelhante às tomadas e armazena energia em baterias. Os modelos desse tipo não emitem gases nocivos para o ambiente, mas não são perfeitos.

Problemas: Autonomia limitada; necessitam de muito tempo para recarga e, no Brasil, ainda é difícil encontrar uma “tomada” disponível.

Em tempos de greve, os combustíveis alternativos cairiam bem. Saiba quais fontes de energias estão sendo estudadas pelas fabricantes e quais são as (des)vantagens de cada uma delas.
Foto Renault | Divulgação

Hidrogênio

Na Alemanha, mais de 20 postos de Hidrogênio já estão em operação. O gás, retirado do metano, é queimado em sua forma pura nos motores a combustão, assim como a gasolina e o GNV, e produz, como rejeito, água.

O Hidrogênio também pode ser aplicado em células de combustível. Seu gás reage com o oxigênio do ar e alimenta veículos elétricos. Desde 2010 a tecnologia já é utilizada pela Mercedes-Benz. Toyota e Honda também já vendem exemplares que utilizam o Fuel Cell.

Problemas: 95% do hidrogênio usado hoje é retirado do gás metano, uma fonte não renovável; há, também, excessiva liberação de monóxido de carbono no processo de extração do gás; é caro produzir hidrogênio de forma renovável e também é alto o custo da construção da infraestrutura necessária para manter os veículos em circulação, enquanto veículos elétricos fazem uso da rede elétrica já existente.

Carro que anda com água?

Boris explica se o “milagre dos combustíveis alternativos” apresentado na internet é verdadeiramente viável:

Foto Renault | Divulgação
Avalie o conteúdo:
PéssimoRuimRegularBomExcelente (Seja o primeiro a avaliar)
loadingLoading...
Clique na estrela para avaliar.
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Leonizio Junior 24 de junho de 2018

    Já se testou de tudo para fazer combustível natural,mas acredito eu que nunca testaram a castanha do caju porque sempre que assada ela desenvolve um gás que provoca muito fogo e na vasilha onde é assada sempre fica uma grande quantidade de liquido inflamável,espero alguém se interessar e tentar pesquisar porque ai pode estar uma boa solução pra novas descobertas

Avatar
Deixe um comentário