Etanol em conta? 6 dicas para aproveitar o combustível

Em algumas cidades do Brasil está valendo a pena abastecer o carro com etanol; listamos algumas dicas sobre o combustível

Por AutoPapo 05/07/18 às 18h06

Em algumas cidades do Brasil está valendo a pena abastecer o carro com etanol. Além do custo mais baixo, o uso do álcool como combustível tem outras vantagens. Mas também pode provocar alguns perrengues. O AutoPapo ensina como dribá-los.

1. Carro flex pode usar etanol a qualquer momento e em qualquer quantidade!

Isso é um mantra no AutoPapo, embora muitos ainda insistam em discordar. Nos carros com motor flex, você pode abastecer com etanol ou gasolina, a qualquer momento e em qualquer proporção. O que isso significa? Que se o tanque do seu automóvel tiver gasolina no tanque, você não precisa esperar ele esvaziar para abastecer com etanol. Se encontrar o combustível com um preço bom, pode encher o tanque!

2. Dificuldade de partida no frio?

Carro abastecido com etanol tem mais dificuldade em dar a partida de manhã em dias frios, principalmente os mais antigos, que ainda utilizam o tanquinho auxiliar. Em modelos mais modernos, este arcaico sistema já foi substituído por outras tecnologias.

Isso acontece, pois é mais difícil o combustível vaporizar em temperaturas mais baixas. Uma solução prática é adicionar 30% de gasolina ao etanol que estiver no tanque. Ele é o suficiente para que o motor funcione mesmo nas temperaturas mais baixas, pois o percentual acrescentado de gasolina ao álcool dispensa o tal do tanquinho.

3. Confira se o tanquinho tem gasolina

Você prefere continuar usando o tanquinho? Sem problemas! Então confira se tem gasolina nele. O ideal é o uso de alguma gasolina premium (Podium da Petrobras, por exemplo). Ela tem uma grande vantagem: demora mais para envelhecer. Se isso ocorrer, ela não auxiliará na partida. Ela é mais cara sim, mas a quantidade necessária é pequena.

4. Etanol dispensa o uso de aditivos

O aditivo tem justamente a função de ser uma espécie de “detergente” no motor. Ele tem elementos químicos que evitam a formação de depósitos carboníferos e mantêm limpa a câmara de combustão. Estes depósitos ficam incandescentes em elevadas temperaturas e provocam a auto-ignição (“batida de pino”), que prejudica o funcionamento e pode até danificar o motor.

O álcool tem um percentual de carbono é muito inferior (cerca de apenas 1/3) em relação ao da gasolina. Ora, se o teor de carbono do etanol é muito baixo, a possibilidade de formação de depósitos carboníferos na câmara de combustão é quase nenhuma. Ou seja: etanol com aditivo não faz mal, mas é dispensável.

5. Etanol proporciona mais desempenho

O etanol tem menor poder energético do que a gasolina, porém uma octanagem muito maior. Os engenheiros se aproveitam disso para aumentar muito a taxa de compressão do motor e, quanto maior a taxa, maior a potência. Mas, isso tem seu preço: o consumo com ele é maior.

6. Quando o álcool vale a pena?

Se você tem um carro flex e fica em dúvida entre abastecer com álcool ou gasolina em função do preço relativo destes dois combustíveis, a regrinha prática que foi estabelecida há muitos anos é: se o etanol custar até 70% do preço da gasolina, vale mais a pena usar o derivado da cana. Porém, pesquisas indicaram que com o desenvolvimento dos motores e do próprio etanol, já existem controvérsias em relação a esse percentual de 70%, pois já se comprovaram vários casos em que o etanol pode custar até 75% da gasolina e continuar valendo a pena. A dica é você abastecer seu carro com os dois combustíveis e verificar qual a diferença de consumo de um para outro.

Está valendo a pena abastecer com etanol em algumas cidades
4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Paulo Anderson 6 de julho de 2018

    Meu argo Hgt , em Bandeirantes -Pr, está rendendo mais com etanol. O consumo está muito próximo um do outro.

  • Avatar
    Rodolfo 6 de julho de 2018

    Prezados, bom dia!
    …. Digo que nem tudo são flores… o etanol tem maior corrosividade do que a gasolina e de quebra o etanol tem menor lubricidade do que a gasolina, assim um motor a gasolina tende a durar mais do que um a etanol.
    …. para quem se preocupa em usar gasolina e a mesma carbonizar o motor a solução é simples… basta usar gasolina aditivada. Quero lembrar aqui que o Brasil é um dos poucos países que ainda usam gasolina sem aditivação de limpeza (detergentes e dispersantes). E ainda nós temos algumas marcas de gasolina aditivada com moderador de atrito (Shell, Ipiranga e BR) que deduz o desgaste do motor nas partes onde existe a passagem da gasolina (válvulas de admissão, anéis de segmento do pistão e o pistão).
    …. Assim é o tal do custo vs benefício, gasolina aditivada ao invés de comum pode ser mais caro no princípio, mas a longo prazo as manutenções como por exemplo limpeza de bicos será inexistente e a vida útil do motor será maior com o aditivo moderador de atrito.
    …. Por fim, Vejam no vídeo abaixo o vídeo que eu fiz sobre:
    “O verdadeiro custo da gasolina e do etanol”:
    https://www.youtube.com/watch?v=LEsd9uMfFOc
    Forte abraço,

    • Avatar
      Samarone 8 de julho de 2018

      Essa questão da durabilidade é um mito antigo, já caiu por terra há muito tempo, o combustível não tem função de lubrificar nada, uso Etanol ha quase 30 anos sem problemas, o problema no Brasil são os combustíveis adulterados, tanto Gasolina como Etanol, mas baseando-se em combustíveis puros das refinarias o Etanol tem mais vantagens, é mais barato, polui menos, não causa carbonização, é renovável, tem o cheiro menos desagradável, outro inconveniente do Etanol é a mafia dos usineiros, mas a gasolina também esta nas mãos de mafiosos.

  • Avatar
    Edson 5 de julho de 2018

    Gostaria de saber se é verdade qua quando abastece o carro com álcool ajuda na limpeza dos bicos injetores ?

Avatar
Deixe um comentário