Fim de carreira! Listamos 7 carros que estão nas últimas

Com vendas em baixa no país e fora de linha ou substituídos por novas gerações no exterior, tudo indica que esses veículos não devem ir muito mais longe

Por Alexandre Carneiro28/04/18 às 10h00

Você tem receio de comprar um carro que vai sair de linha em breve? Então, fuja desses sete modelos enumerados pelo AutoPapo. Embora todos eles sigam à venda, a idade de seus projetos e seus baixos números de venda são indícios de que eles podem não ter muito tempo de vida pela frente. Confira quais carros estão em fim de carreira no Brasil:

1. Hyundai Tucson

Hyundai Tucson está em fim de carreira
Foto Hyundai | Divulgação

No exterior, o Tucson foi substituído há muito tempo pelo ix35, que, por sua vez, deu lugar ao New Tucson. No Brasil, as boas vendas dos dois primeiros modelos incentivaram o Grupo Caoa, parceiro da Hyundai, a fabricá-los em sua planta em Anápolis (GO) e a importar o terceiro. Desse modo, as três gerações do SUV médio da marca coreana passaram a dividir o mercado local.

O convívio dos três veículos desenvolvidos para substituir um ao outro, porém, ficou abalado pelo lançamento do Creta, em dezembro de 2016: apesar de ser menor, ele é bem mais moderno que o Tucson e o ix35, cujos projetos datam, a nível mundial, de 2004 e 2009, respectivamente. Já o New Tucson, apesar de atual, é bem mais caro.

O envelhecimento do projeto, associado à concorrência interna com o Creta, teve consequências nas vendas do Tucson. Em 2018, ele sequer aparece no ranking dos 50 veículos mais empacados do país, divulgado pela Federação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Fenabrave). Ultrapassado e com vendas em baixa, trata-se de um modelo em fim de carreira. É difícil imaginar que ele conseguirá se manter no mercado por muito mais tempo.

2. Volkswagen Fox e SpaceFox

Volkswagen Fox está em fim de carreira
Foto Volkswagen | Divulgação

O Fox não teve antecessor e tampouco terá sucessor. O modelo atual ainda é feito com base no projeto original de 2003, que apenas sofreu atualizações no design e no interior. Quando foi lançado, tinha a proposta de ser um carro mais espaçoso que o Gol, porém com um preço mais acessível que o Polo.

Passados 15 anos desde então, a Volkswagen tem dificuldade para manter tantos carros com propostas e preços parecidos em sua linha – além dos três citados, há também o up!. Por isso, será preciso enxugar a gama. O Polo teve uma nova geração lançada no ano passado, ao passo que um novo Gol, totalmente reprojetado, está em fase de desenvolvimento e deve chegar ao mercado em 2020 ou 2021. Até lá, ou enquanto as vendas ainda se mantiverem em um patamar rentável, o Fox segue no mercado, mas não deixará sucessor direto.

Recentemente, a linha Fox foi enxugada e hoje é composta apenas pelas versões Xtreme e Connect. A situação da SpaceFox, derivada do Fox, é ainda mais delicada. O modelo pertencente a um segmento que está em extinção: o das peruas. Com vendas menos significativas que o hatch e disponível em versão única, a Trendline, a station wagon pode ser descontinuada antes dele.

3. Renault Fluence

Renault Fluence está em fim de carreira
Foto Renault | Divulgação

O Fluence nunca foi um sucesso de vendas. Quando era novidade no mercado, cinco ou seis anos atrás, ainda conseguia manter uma média superior a 1.500 emplacamentos por mês. Atualmente, porém, já com algumas rugas, o modelo sequer figura no ranking dos 50 veículos mais vendidos da Fenabrave.

Na Europa, o sucessor do modelo já está sendo vendido. Trata-se da nova geração do Mégane Sedan, cujo projeto foi completamente refeito. Na América do Sul, não há nem sinal desso novo produto. Os planos da Renault para o segmento de médios ainda são uma incógnita, mas é possível que a marca substitua o Fluence por um SUV, como o Kadjar, já disponibilizado no exterior.

4. Peugeot 308 e 408

Peugeot 308 está em fim de carreira
Foto Peugeot | Divulgação

Derivados do mesmo projeto, o hatch 308 e o sedã 408 são outros dois exemplos de modelos médios franceses que nunca tiveram vendas expressivas no Brasil e que, após a chegada de concorrentes mais jovens, viram sua situação ficar ainda pior. Eles também não figuram entre os 50 automóveis mais vendidos do país.

A nova geração do 308 já está sendo comercializada na Europa há alguns anos. A Peugeot chegou a cogitar importá-lo para cá, mas desistiu diante da desvalorização do Real e da crise do mercado. Em fim de carreira, o hatch e o sedã têm, ao menos por enquanto, futuro indefinido – e nada animador.

5. Fiat Grand Siena

fiat grand siena está em fim de carreira
Foto Fiat | Divulgação

O Palio saiu de linha no ano passado, mas seu derivado Grand Siena continua sendo fabricado. A pergunta é: até quando? Segundo nossos parceiros do Autos Segredos, o sedã compacto continua no mercado até, pelo menos, o último semestre de 2019. Depois disso, sua permanência só ocorrerá caso a aceitação do consumidor se mantiver em alta.

É impossível dizer como o mercado vai se comportar até lá, mas é fato que, nos últimos anos, as vendas da linha Siena vêm caindo. O modelo, que já foi líder do segmento de sedãs compactos, foi o 36º automóvel no ranking do mês passado, com 1.433 emplacamentos. Já foi ultrapassado, inclusive, por seu descendente direto, o recém-lançado Cronos, que no mesmo período teve 1.579 unidades comercializadas, que o fizeram ocupar a 30ª colocação no ranking.

6. Ford Fiesta

Ford Fiesta está em fim de carreira
Foto Ford | Divulgação

A Ford está promovendo atualizações mecânicas em sua linha nacional. Um câmbio automático de seis marchas e o novo motor 1.5 de três cilindros da família Dragon passaram a mover o EcoSport no ano passado e logo chegarão ao Ka. Nenhum desses itens, porém, têm previsão para ser incorporado ao Fiesta. O hatch chegou, inclusive, a passar por um discretíssimo face lift no ano passado, mas nem assim o fabricante promoveu mudanças sob o capô.

Como geralmente o setor automotivo evita fazer atualizações mais onerosas em modelos sem perspectivas de mercado, é no mínimo suspeito que o Fiesta permaneça com a mecânica atual. Além disso, seus números de vendas estão em baixa: ele é outro que sequer aparece no ranking dos 50 automóveis mais vendidos da Fenabrave. Em fim de carreira, a tendência é de que o hatch seja substituído por novas versões do Ka, como a FreeStyle.

7. Mitsubishi Lancer

Mitsubishi Lancer está em fim de carreira
Foto Mitsubishi | Divulgação

O Lancer é o sedã médio de projeto mais antigo à venda no mercado nacional: a atual geração foi lançada mundialmente em 2007. Em vários países, o modelo já deixou de ser comercializado, mas segue vivo no Brasil, graças, em grande parte, à HPE, representante da Mitsubishi no Brasil, que o fabrica em Catalão (GO).

Ocorre que, nos últimos tempos, as vendas do Lancer minguaram demais: ao longo de todo o ano passado, apenas 422 unidades foram vendidas no Brasil. Há muito sedã não figura no ranking dos 50 mais emplacados na Fenabrave. Defasado e com aceitação em baixa, o médio vê sua permanência no mercado, no mínimo, ameaçada.

Para piorar, a matriz da Mitsubishi não tem planos de desenvolver um substituto direto. Existe a possibilidade de a empresa reutilizar o nome do Lancer em um SUV ou crossover inédito, tal qual já fez com o Eclipse. Porém, ao menos como sedã, o modelo não tem grande perspectiva de futuro.

24 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Carlos Garzi 4 de setembro de 2018

    Pouco se comenta, em qualquer espaço jornalístico especializado em autos, sobre o March da Nisssn. É falta de comunicação do Marketing da fabrica ou outro motivo qualquer?

  • Cristina Raposo 22 de agosto de 2018

    Nossa……….. que sitio ruim………. Não consigo ler a matéria, mesmo me cadastrando………….

  • Edson Santos 15 de agosto de 2018

    Ninguém fala da Fiat Idea 1, 4 ? Pena que ela bebe, mas é um carro bem confortável. Não é mais fabricada, manutenção barata. Procuro uma 1.8 Sporting manual das últimas que forem fabricadas.

  • Edson Santos 15 de agosto de 2018

    Que pena ninguém fala do meu carro que já parou de ser fabricado há algum tempo. Fiat Idea 1.4 beberrona mas confortável e manutenção barata. Boa para quem é colunável como eu, dor na coluna. Procuro uma 1.8 Sporting manual das últimas fabricadas.

  • Márcio 2 de junho de 2018

    Tira Fox de linha ese carro e show de bola.

  • ALLAN HENDERSON 22 de maio de 2018

    Que os modelos citados não estão bem no mercado é fato. Mas há equívocos grosseiros em alguns números apresentados como, por exemplo, sobre as vendas do Ford Fiesta que o deixariam fora até do Top 50 de automóveis mais vendidos. Na verdade, o hatch da Ford fechou 2017 na 6.ª posição de sua categoria (Hatch pequenos – Fenabrave) e em 34.º entre todos os automóveis, com 19.057 un. acumuladas no ano. E em 2018, o modelo fechou o 1.º quadrimestre como o 33.º automóvel mais vendido no Brasil, com 6015 un.

  • Antônio Carlos libanio Coelho 8 de maio de 2018

    Ouço todos os dias de manhã na alphafm, gosto de estar informado so carro até porque tenho um logan 2010 todo original com manutenção em dia com apenas 58.ooo cuidado muito bem dele, como cuido do ônibus em que eu trabalho, um Scania irizar 2015que está agora com 159000 carro completo executivo.
    Abraço valeu.

  • CLAUDIO 7 de maio de 2018

    Acho que faltou, o SONIC da Chevrolet, o que pensam sobre ele ?

    • Felipe Boutros
      Felipe Boutros 7 de maio de 2018

      Olá, Claudio. O Sonic já está fora de linha no Brasil. Obrigado.

    • sidnei 19 de outubro de 2018

      o sonic nunca foi fabricado no brasil, excelente carro

  • Osvaldo 1 de maio de 2018

    Pra mim o pior de todos eles e o pejo

    • Feliciano 26 de julho de 2018

      Pejo?!?!?!

      • Ronaldo Cavalcante Silva 22 de agosto de 2018

        Pejo> Peugeot!

  • Randel Araujo 30 de abril de 2018

    Tive a oportunidade de ter alguns modelos listados, como o Fox e atualmente o Fluence. Não tenho nada a reclamar de ambos, alias acho que representaram muito bem. A gama de opções no Brasil faz com que alguns modelos infelizmente não se sobressaiam. De um modo geral, acredito que o governo é o maior responsável por termos carros e uso até mesmo os telefones celulares como referencia em cadeia: Preços altíssimos por causa da carga tributária, geram carros e celulares com custos altos, e por consequência se tornam visados pelos criminosos, que muitas vezes ceifam a vida de pessoas de bem. E o estado causador desta barbárie, usa a segurança publica como desculpa, e por ai vai. Enfim, voltando ao foco do tema, fico triste pela expectativa do fim de vida para estes 2 modelos.

  • María Aparecida Vieira morais 29 de abril de 2018

    Gostei, eu vou pegar meu primeiro carro zero agora no final do ano.estou com meu consórcio praticamente quitado.estou até com dúvida que carro pego.sendo o meu primeiro. O consórcio e de um Voyage 1.6

  • Moacir Alberto dos Santos 29 de abril de 2018

    Bom dia a todos, na minha opinião é preciso acabar definitivamente com as versões de um mesmo, modelo e melhorar o acabamento interno dos veículos. É também preciso readequar a política de do IPVA, pois se um carro popular custa em média $80.000,00 já deveria sair emplacado e já com as devidas taxas tributárias pagas. É é justamente por esss motivos que o carro brasileiro vem perdendo espaço dentro do teu próprio país. É preciso que uma política de logística, porém pleno século 21 ainda vemos segonheiras carregando automóveis.

  • Claudio Martins 29 de abril de 2018

    É só mais um exemplo de como nós brasileiros temos medo da mudança. No caso do Fluence ser pouco popular. O carro é lindíssimo. Acho que temos que rever conceitos.

  • Claudio Martins 29 de abril de 2018

    É uma pena que a cultura popular brasileira por marcas nacionais não permita que carros como o Fluence da Renault não consiga estar entre os mais vendidos. Pois, o carro é excelente, não perde em qualidade quando comparado ao Civic ou Corolla respectivos Honda é Toyota. Acho que o seu design é superior até. É, também foi uma pena ter saído de linha o modelo Megane GT. Que sem dúvida foi o mais belo modelo do segmento camionete.

  • Simone nascimento santos Santana 29 de abril de 2018

    Muito esse tipo de informação para não jogar dinheiro fora

  • Luiz 28 de abril de 2018

    Desses só sabia que ainda está em linha é o fiesta.

  • Edson Santos 28 de abril de 2018

    Os autos aqui apresentados já tinham comentarios de sua parada no mercado:A Tuckson já tinha quase parada sua fabricação há poucos anos atras mas resolveram fabricar aqui mas não vingou. O Fox já cansou há muito tempo .A Space Fox nasceu morta.O Renaut Fluence já veio ao Brasil sem sucesso na Europa.Os Peugeot nem se fala já deixou de fabricar varios carros lançados no BrasilA Fiat em curto espaço de tempo, chega quase a meia duzia de carros que deixaram o publico brasileiro a “ver navios”.A Fiat insiste no Siena que esta ultrapassaddo há tempo.A Ford ´so lança carros ultrapassados com manutenção cara.O Mitsubishi Lancer tambem já veiomorto para o Brasil,caro ,feio e manutenção super cara com poucas oficinas autorizadas.

    • Dan 10 de julho de 2018

      Óbvio que o amigo aí em cima anda de JAC Motors (aquele do Faustão).

      • Feliciano 26 de julho de 2018

        Ô loco, bicho! Essa fera aí, meu!

    • Magno 3 de agosto de 2018

      Spacefox é um super carro, muito melhor que o palio Weekend, é um carro confiável vc anda e sabe q não vai te deixar na mão, manutenção dele é óleo filtros e correia dentada que é a mesma do gol. Esse carro é 10.

Deixe um comentário