Manutenção preventiva de carros: calendário indica troca de componentes

Itens de troca periódica demandam atenção do motorista; saiba qual é a vida útil média das peças que exigem substituição mais frequente

Por Bárbara Angelo24/11/18 às 14h00

Independente da marca ou da categoria, é sempre importante acompanhar a manutenção preventiva de carros, com atenção aos itens que exigem a troca periódica. A principal razão é que a falha em manter esses componentes em boas condições pode levar a problemas mecânicos graves – e caros. Por isso, o AutoPapo listou todos os itens de manutenção preventiva obrigatória para qualquer carro. Siga este guia para se manter atualizado com as condições do seu veículo – e também para escapar de picaretagens nas oficinas.

Para compilar esta lista de itens de manutenção preventiva de carros, nós conversamos com especialistas do setor: o engenheiro mecânico e conselheiro da Sociedade de Engenheiro da Mobilidade (SAE) do Brasil, Francisco Satkunas; e o chefe do Centro de Treinamento Automotivo da Bosch, Diego Riquero Tournier. Eles também nos falaram qual é o tempo médio* entre as trocas para cada um dos itens da lista.

Confira a tabela com os itens e períodos ao fim da página.

Para facilitar a sua vida, fizemos uma tabela com todos os itens de manutenção preventiva de carros que exigem atenção do motorista.

Depois de consultar este guia, consulte o manual do veículo

Antes de consultar o guia, entretanto, você deve saber que os tempos ou períodos de troca indicados são apenas uma média entre diversos modelos. Ou seja, a maioria dos carros populares, de arquitetura mais simples, estarão dentro desse sistema. Mesmo assim, podem haver exceções.

Por causa disso, é necessário fazer uma consulta ao manual do proprietário. Esses documentos trazem todas as informações sobre a manutenção preventiva de carros, e também determinam as especificações dos produtos que devem ser utilizados naquele modelo.

Assim, o calendário de manutenção preventiva de carros do AutoPapo deve ser utilizado apenas inicialmente, para que o motorista saiba o que buscar no manual de seu veículo, já que alguns deles não têm uma tabela completa dos serviços necessários.

Manutenção preventiva de carros evita a manutenção corretiva

Como indica o engenheiro mecânico e conselheiro da SAE, Francisco Satkunas, a indústria automotiva tem aumentado, cada vez mais, o período entre trocas de componentes. “A troca de óleo de veículos passou de 1.500 para 5 mil quilômetros, o filtro a cada 10 mil quilômetros, e assim por diante, porque o consumidor considerava ruim ter que ir na concessionária fazer a manutenção”, conta o engenheiro.

Mesmo assim, a manutenção preventiva de carros ainda é necessária. Estar bem informado com relação ao que o carro precisa também ajuda o motorista a escapar da picaretagem nas oficinas. Com isso, ele também poderá se assegurar de que o programa de revisões da concessionária está fazendo tudo o que deveria, no caso de carros dentro da garantia.

Para facilitar a sua vida, fizemos uma tabela com todos os itens de manutenção preventiva de carros que exigem atenção do motorista.

A manutenção preventiva de carros é feita durante as revisões. O chefe do centro de treinamento automotivo da Bosch, Diego Riquero, explica que esse tipo de serviço existe para manter o veículo em boas condições de funcionamento. Ele evita que o carro quebre e precise de uma manutenção corretiva, ou seja, um serviço de conserto de componentes que se danificaram.

“A manutenção preventiva é feita para que a manutenção corretiva não seja necessária”, resume ele. E acrescenta: “quando quebra, sempre é mais caro”.

Além disso, a manutenção preventiva de carros é dividida em dois tipos de itens: os de troca obrigatória, e os de inspeção obrigatória, explicam os especialistas. No primeiro caso, se enquadram o óleo do motor e o filtro de ar, por exemplo. Eles são os fluidos e peças que têm data de validade, além de se degradarem com o uso. Por isso, com eles, não tem escolha: quando for alcançado o período ou a quilometragem indicados, é preciso fazer a substituição.

Já os itens de inspeção obrigatória também vão se degradar com o uso, mas de uma forma difícil de prever. Este é o caso das embreagens e das palhetas dos limpadores de para-brisa, por exemplo. Sua vida útil vai depender de onde o carro é estacionado, do cuidado do motorista, e outros fatores. Por isso, é necessário conferir seu estado com periodicidade, mas só faça a substituição quando a inspeção mostrar que o componente perdeu suas características originais.

Calendário de manutenção preventiva de carros

De acordo com Riquero, da Bosch, e Satkunas, da SAE, estes são os serviços de manutenção preventiva de carros que sempre devem ser realizados. Também estão indicados os tempos médios para a substituição ou inspeção dele.

Os especialistas lembram, mais uma vez: os períodos de troca podem mudar de acordo com o modelo do veículo e as características dos produtos usados. Por isso, esta tabela serve apenas como um guia inicial, e o momento da substituição, assim como as especificações de fluidos, filtros e outros componentes, devem estar de acordo com o indicado no manual do carro.

Itens de troca obrigatória:

Devem ser substituídos, obrigatoriamente, na hora certa

Item ou serviço Quando trocar
Alinhamento dos pneus 10 a 20 mil km
Correia do alternador Junto com a correia dentada
Correia do compressor do ar-condicionado Junto com a correia dentada
Correia dentada 40 mil a 100 mil km, média de 60 mil km
Correia poly-v (bomba d'água) Junto com a correia dentada
Filtro de ar Junto com a troca de óleo
Filtro de cabine (antipólen) Uma vez ao ano
Filtro de combustível 20 mil km
Filtro de óleo Sempre que trocar o óleo
Fluido das transmissões 60 a 100 mil km ou 2 a 4 anos
Fluido de freio (óleo do freio) Seis meses a um ano
Limpeza do ar condicionado Uma vez ao ano
Limpeza do sistema de arrefecimento Quando trocar o líquido de arrefecimento
Líquido de arrefecimento A cada dois anos
Óleo lubrificante A cada 5 mil a 15 mil km*
Pneus Validade de 5 anos
Velas Podem variar de 15 mil a 100 mil km

*A depender do tipo de óleo (mineral, sintético, ou semi-sintético) e do uso feito do veículo (veja abaixo)

Itens de inspeção obrigatória:

Só devem ser substituídos quando apresentarem sinais de degradação

Item O que conferir
Água do limpador de parabrisa Nível
Buzina Cheque funcionamento se passar por alagamentos
Cintos de segurança Desgaste visível ou histórico de colisão
Embreagem Kit de embreagem (carros manuais ou automatizados)
Estepe Cheque a calibragem a cada 2 meses
Fluido da direção hidráulica Nível
Fluido de freio (óleo de freio) Medir o nível de contaminação
Limpadores de parabrisa Condição das palhetas
Luzes Faróis, lanternas, da cabine, e luzes de alerta no painel
Pneus Desgaste dos sulcos e calibragem
Sistema de carga Alternador e bateria
Sistema de freios Pastilhas e discos, ou lona e tambor
Sistema de suspensão Amortecedor, bandeja, pivô, articulações, mola

Fatores que podem alterar os períodos de troca

Existem alguns fatores que podem aumentar ou diminuir os períodos de troca dos itens da manutenção preventiva de carros. Um deles é o tipo de uso que se faz do veículo, que tem os nomes técnicos de “uso severo” e “uso leve”.

Para facilitar a sua vida, fizemos uma tabela com todos os itens de manutenção preventiva de carros que exigem atenção do motorista.
Carros que rodam na cidade estão em “uso severo”.

Considera-se que um carro tem uso severo quando ele anda na cidade, participa do para-e-anda de engarrafamentos, ou é utilizado por curtos períodos de tempo várias vezes ao dia. Já o uso leve é, por exemplo, o carro que anda na estrada, como um veículo de transporte, e cobre percursos mais longos.

O uso severo é a situação da maioria dos carros hoje em dia, e ele vai diminuir o tempo de troca do óleo lubrificante e do filtro de ar, aponta Riquero, da Bosch. Esse tipo de regime de trabalho também aumente o desgaste do motor do veículo, como um todo, e exige mais atenção do motorista. No manual do carro, há a indicação do tempo de troca para os dois casos.

Outra situação que pode interferir no desgaste de componentes é a qualidade do combustível. Álcool ou gasolina adulterada com solventes vão comprometer as condições do veículo, diminuindo a vida útil de mangueiras e peças de borracha, impregnando o filtro de combustível, e contaminando o óleo lubrificante.

Confira nossos guias para assuntos específicos

E muito mais em nossa seção de serviços

Ou siga nossa página no Facebook e mantenha-se atualizado com as últimas notícias do universo automobilístico

2 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Jose Lopes 29 de novembro de 2018

    Bom dia tenho um KIA CERATO 013/014 com as revisoes em dia porem terminou a garantia de 5 ano esta em perfeito estado de rodagem com 80 mil km nesta revisao devo trocar todos os componentes ou seguir o manual

  • Celio* 27 de novembro de 2018

    Eu quis imprimir a tabela mas não consegui.
    Tem como liberar a impressão?

Deixe um comentário