Posso misturar óleos mineral e sintético no carro?

Não misture um com outro, a não ser que seja caso de emergência. Aí, melhor juntar do que andar com o nível baixo

Por BORIS FELDMAN01/07/18 às 13h00

Com óleo do motor não se brinca, e não se deve misturar lubrificantes sintético com mineral, ou vice-versa. Aliás, ele preocupa até os motoristas mais despreocupados com a manutenção do carro. Aqueles que fazem questão de dizer “não entendo nem quero entender bulhufas do automóvel, só quero que ele me leve onde eu preciso gastando pouca gasolina e, se possível, sendo alérgico a oficina”.

posso misturar óleos diferentes

Dá para entender. O óleo é responsável pela durabilidade do motor, que representa a maior despesa mecânica do automóvel se um dia fundir. E, se brincar, ele funde mesmo!

O melhor óleo é o recomendado pela fábrica no manual. Melhor não mudar sequer a marca, mas, em último caso, seguir pelo menos os padrões de viscosidade (SAE) e aditivação (API).

Comentei outro dia nesta coluna sobre um leitor que questionou a possibilidade de completar o cárter de um motor com óleo mineral com sintético, ou vice-versa.

Não se deve misturar óleos de origens diferentes (mineral, sintético e semissintético). Sabe-se que o sintético, por ser produzido especificamente para a lubrificação do motor, é bastante superior ao mineral, obtido a partir do refino do petróleo e “ajustado” para o motor com aditivos. Então, se o cárter tem óleo mineral, para-se num posto, percebe-se a necessidade de completar o nível, mas lá só tem o sintético dentro das especificações do manual, o que fazer?

Por incrível que pareça, engenheiros já testaram a mistura do mineral com o sintético, imaginando que o resultado seria um meio-termo entre os dois. Não! O óleo resultante apresentou características inferiores a ambos! Então, nada de misturá-los.

É claro que, numa emergência, se o cárter que tem o óleo mineral estiver com o nível baixo e só for possível completar com o sintético, melhor fazê-lo. Parafraseando um técnico de uma destas fábricas de lubrificantes: melhor ele do que nenhum!

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Deixe um comentário